Rua Nicola Zaponi, 1481 – Parque Imperial – CEP 18606-265 – Botucatu/SP – Brasil

Criando os filhos com Amor

Criando os filhos com Amor
Um dos maiores desafios que enfrentamos em nossa vida é a criação dos filhos, uma tarefa nada fácil. São tantas situações que nos envolvem na rotina diária que perdemos de vista esta tarefa primordial. Qual seria a coisa mais importante para ensinar aos nossos filhos? Estou cumprindo bem essa tarefa? Como posso ser um bom pai ou uma boa mãe? Vamos falar de cinco princípios práticos que irão ajudar você a estabelecer uma relação duradoura e frutífera com seus filhos, transmitindo valores que irão durar por toda a vida.

Não há livros, manuais ou fórmulas perfeitas, já que devido à nossa complexidade humana, cada criança é única e maravilhosa. No entanto, existem princípios básicos que precisamos levar em conta e trazer para dentro de nossas famílias, para que estas sejam fundamentadas no amor, na solidariedade, na compreensão e no respeito.

Aqui em Vivenciar.net vamos conversar sobre os princípios que envolvem este grande desafio que temos diante de nós. Criar os filhos é uma tarefa linda que devemos desfrutar e assumir com responsabilidade, começando por entender que cada filho é uma bênção na vida dos pais, e não um fardo que carregamos até que sejam adultos

Quer saber mais? Que tal falarmos dos princípios básicos e como colocá-los em prática?

Princípio 01 – COMPROMISSO
A palavra compromisso pode ser entendida como a obrigação assumida por uma pessoa em relação a algo ou a alguém. A partir daí entendemos que quando nos comprometemos com alguém, e nesse caso estamos falando de nossos filhos, estamos vinculados a eles desde o momento presente até um futuro que é incerto, que não sabemos como será. Apesar disso, estaremos presentes, dando o melhor de nós mesmos, sendo solidários a eles mesmo sabendo que eles não estarão em condições de nos retribuir por tudo o que faremos. Compromisso com os filhos significa uma entrega total de nossa parte para que eles cresçam e se desenvolvam como seres humanos.

Em um mundo em que é tão difícil ver as pessoas assumirem e cumprirem seus compromissos, educar os filhos para a vida implica em levar esse compromisso até o fim, sem medo de se machucar, de perder a liberdade, de amar incondicionalmente.

Assuma que nenhum de nós é perfeito, mas se os filhos foram confiados a nós, não perca a motivação e a esperança. Se você está comprometido com a criação dos filhos e está preocupado, buscando orientação, já está indo por um bom caminho.

Princípio 02 – TEMPO E COMUNICAÇÃO
Todos gostaríamos de poder ter mais tempo para ficar com os filhos, mas a grande pergunta é: “como arrumar tempo em meio a essa rotina cansativa e agoniante?”

Então, aí vão algumas sugestões que podem ajudar nessa questão:

Assuma o compromisso de passar pelos menos 15 minutos por dia com cada um dos filhos em separado. Cada filho precisa saber que esse tempo está reservado para que seja desfrutado entre vocês. Conversem de forma espontânea, evitando perguntas básicas do tipo “como foi na escola?”. Comece dizendo algo do seu dia, coisas que foram boas e coisas não tão boas. Mostre um pouco do seu mundo e o seu lado emocional e você verá que os filhos também podem se abrir aos poucos.
Demonstre mais afeto. Lembre que a TV ou a Internet não podem sorrir e abraçar seu filho. Então faça isso mais frequentemente.
Escolha algumas atividades regulares com a família. Façam algo juntos pelo menos uma vez por semana. Pode ser cozinhar juntos, ver juntos um filme que pode ser comentado entre vocês depois, ou joguem algum jogo que permita boas risadas.
Organize o seu tempo de forma adequada, procure não sobrecarregar os horários com tarefas exaustivas.
Procure conhecer mais sobre as coisas que seus filhos mais têm interesse. Esportes, tipos de músicas, jogos e até mesmo o que eles gostam de assistir na Internet. Essa cumplicidade gera uma empatia que ajuda a criança ou o jovem a confiar no adulto, pois sabe que ele respeita seus gostos e está atento às suas escolhas.
Evite estar sempre ocupado, ou as famosas frases: agora não posso, mais tarde, estou cansado, tem que ser agora?, peça para a sua mãe, peça para o seu pai, peça para seu irmão… Se os filhos recebem esse tipo de resposta com frequência, pode ser que em algum momento eles parem de nos solicitar.

Princípio 03 – DISCIPLINA
A disciplina é algo que faz parte da vida das crianças. Obedecer faz parte da vida. Temos uma tendência de fazer as coisas do jeito que achamos mais fácil, ou do jeito que é melhor para nós. Por isso é preciso orientar os filhos desde pequenos a assumir certas regras e práticas que estão pautadas no bem-estar, na ética e no amor. Seguimos estas regras porque são boas para nós, não prejudicam os outros e nos ajudam a viver bem em sociedade.

É claro que quando os filhos não respondem a estas regras é necessário corrigi-los. Infelizmente, muitos pais recorrem à violência, seja ela física ou verbal, para tentar impor a disciplina aos filhos. A violência pode fazer com que a criança entenda que isso é uma forma normal de alcançar os resultados, de atingir os objetivos, e pode querer agir da mesma forma com as pessoas.

Precisamos mostrar às crianças a relação que existe entre uma conduta ruim e suas consequências, mas sem violência. Se queremos ensinar as crianças a serem responsáveis por seus atos, a estratégia é mostrar as consequências lógicas de suas escolhas. Ao mesmo tempo, estaremos ensinando a elas a realidade da vida adulta.

Princípio 04 – RECONHECIMENTO
Ajudar nossos filhos a construir sua autoestima é uma responsabilidade que faz parte das funções de pai e mãe. Existem os “dez mandamentos” que ajudam a desenvolver na criança uma autoimagem positiva e saudável a partir da vida em família:

Mostre que você os ama incondicionalmente;
Mostre que eles são especiais e valorize-os quando merecerem;
Ame-os com palavras e, especialmente, com ações;
Cumpra as promessas que você faz a eles;
Demonstre amor promovendo um ambiente seguro para eles, garantindo que não importa o que eles digam ou façam, você nunca dará as costas a eles;
Se você é casado, mostre que você ama seu marido ou sua esposa. Quando uma criança vê que seus pais se respeitam, ela cresce num ambiente seguro.
Faça-os saber que há limites e regras a cumprir, e que isso é bom para a família e para eles;
Não espere coisas impossíveis. Ajude-os a desenvolver seus talentos e habilidades, mas não os deixe frustrados esperando resultados além das capacidades;
Quando você errar, assuma o erro e peça perdão. Isso demonstrará que todos podem errar e, acima de tudo, perdoar é algo maravilhoso que traz restauração;
Use sempre as palavras mágicas: por favor e obrigado. Educação e bons modos são fundamentais para o crescimento e relacionamento.

Princípio 05 – LIDAR COM CRISES
Aprender a lidar com os conflitos é, de fato, uma das tarefas mais desafiantes no processo de educar os filhos. A saúde da nossa família não depende de haver ou não conflitos, mas da forma como tratamos cada uma destas situações. Leve em conta as seguintes sugestões:

Demonstre respeito a seus filhos e a toda família próxima. Ensine com o seu exemplo.
Em meio a um conflito, procure identificar a raiz da questão, qual é o verdadeiro motivo da discussão.
Não fuja da situação. Muitas pessoas sentem-se ofendidas e não querem falar. É um costume muito ruim que contagia todos os outros. A falta de comunicação não permite a solução do problema.
Busque opções que levem a uma solução sem “ganhadores” e “perdedores”. Pense em alguma forma de resolver a questão permitindo que todos percebam que chegaram a um bom acordo.
Em uma crise ou discussão entre o casal, evite sobrecarregar os filhos com detalhes do assunto. Explique o que aconteceu e deixe que ele perceba que o amor continua presente.
Não eleve o tom de voz e não perca a calma. Se você não pode controlar a si mesmo, será difícil resolver o conflito de forma pacífica.
 
CONCLUSÃO
E O QUE MAIS?

Agora é a hora para começar a envolver-se e intervir na educação e na vida dos filhos de maneira saudável e positiva.  Os cinco princípios básicos ajudam você a avaliar como está a sua atuação nesta tarefa. Lembre que quanto mais tempo você compartilhar com eles, mais oportunidades terá para ensinar e prepará-los para a vida. Se queremos que nossos filhos se sintam à vontade para confiar e compartilhar seus sonhos, seus problemas, seus sentimentos e aspirações, devemos dedicar tempo a eles e entregar-lhes um amor genuíno e desinteressado. Não é possível construir uma família saudável quando não estamos presentes em suas vidas, ou quando só estamos suprindo suas necessidades básicas.

Há muitas oportunidades que surgem uma vez só em nossas vidas, e nas vidas de nossos filhos. Se não estivermos com eles nestes momentos importantes, alguém vai estar lá e ajudá-los. E nem sempre isso irá levá-los a uma boa decisão.

Você tem pela frente uma das maiores responsabilidades, e ao mesmo tempo a maior bênção que uma pessoa pode receber, ser pai, ser mãe, educar um filho para uma vida na terra. Não tenha medo! Assuma esse compromisso com amor e dedique-se ao máximo. Seus filhos irão perceber isso e irão amar você para o resto da vida.

“Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele”. Provérbios 22.6

Fonte: https://www.vivenciar.net/pb/conteudos/criando-os-filhos/

Compartilhar